Reseña de -corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea- de denise bernuzzi de santanna Reportar como inadecuado




Reseña de -corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea- de denise bernuzzi de santanna - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista Estudos Feministas 2002, 10 (2)

Autor: Ana Maria Marques

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista Estudos Feministas ISSN: 0104-026X ref@cfh.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Brasil Marques, Ana Maria Reseña de -Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea- de Denise Bernuzzi de Sant´Anna Revista Estudos Feministas, vol.
10, núm.
2, jul.-dic., 2002, pp.
509-511 Universidade Federal de Santa Catarina Santa Catarina, Brasil Disponible en: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=38110218 Cómo citar el artículo Número completo Más información del artículo Página de la revista en redalyc.org Sistema de Información Científica Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal Proyecto académico sin fines de lucro, desarrollado bajo la iniciativa de acceso abierto Resenhas Corpo: objeto de estudo Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. São Paulo: Estação Liberdade, 2001. 127 p. Na década de 1990, Denise B.
de Sant’Anna publicou dois livros problematizando o corpo, além de diversos artigos.
A obra Corpos de passagem, ainda um desdobramento dessa reflexão, reúne dez ensaios que foram escritos na mesma década e publicados ou apresentados, integralmente ou parcialmente, em diferentes meios (jornal, revista, mesa-redonda e, certamente, rascunhos do debate acadêmico).
Historiadora da PUC-SP, doutorada pela Universidade de Paris VII, Denise B.
de Sant’Anna vem ampliar os questionamentos que a sociedade e, em especial, a academia têm feito sobre o corpo, que passa a ser objeto de estudo a partir da década de 1970. A exploração comercial do corpo, questão levantada por Denise Sant’Anna, trouxe, paradoxalmente, a ‘desertificação da vida’. Quanto mais se explora o corpo, mais ele se torna infinito, rompem-se as fronteiras territorias.
O corpo não é mais uma unidade, mas um elo entre os corpos.
As pesquisas genéticas estão criando transgênicos e seres pós-gênero, no entanto as desigualdades sociais perma...





Documentos relacionados