Contribuições feministas para os estudos acerca do aprisionamento de mulheres Reportar como inadecuado




Contribuições feministas para os estudos acerca do aprisionamento de mulheres - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Claudia Mayorga ;Revista Estudos Feministas 2017, 25 (1)

Autor: Daniela Tiffany Prado de Carvalho

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista Estudos Feministas ISSN: 0104-026X ref@cfh.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Brasil Prado de Carvalho, Daniela Tiffany; Mayorga, Claudia Contribuições feministas para os estudos acerca do aprisionamento de mulheres Revista Estudos Feministas, vol.
25, núm.
1, enero-abril, 2017, pp.
95-112 Universidade Federal de Santa Catarina Santa Catarina, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=38149070006 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto http:--dx.doi.org-10.1590-1806-9584.2017v25n1p95 Daniela Tiffany Prado de Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais, MG, Brasil Claudia Mayorga Universidade Federal de Minas Gerais, MG, Brasil Contribuições feministas eministas para os estudos acerca do aprisionamento de mulheres Resumo: Apesar de representar menos de 10% da população prisional, observa-se um aumento significativo no número de mulheres presas em Minas Gerais.
Enquanto, em 2003, contávamos 238 presas, no fim de 2013, já contabilizávamos mais de 2.805 mulheres custodiadas em cadeias, presídios e penitenciárias mineiras.
Entretanto, o aprisionamento de mulheres e a participação dessas em atos criminais ainda são recorrentemente analisadas pelo viés do exotismo, como se essa vinculação fosse ‘antinatural’ para as representantes do sexo feminino, carecendo de explicações que vão do economicismo à moralidade, onde a condição financeira, a parceria amorosa, a sexualidade exacerbada, a falta de caráter e-ou a perversidade aparecem como as explicações predominantes para o envolvimento das mulheres com a criminalidade.
Ao nos remetermos à história das punições sob as lentes das teorias feministas, buscamos adentrar um campo de estudos restrito e muito...





Documentos relacionados