Regeneração natural em área degradada pela mineração de carvão em santa catarina, brasil Reportar como inadecuado




Regeneração natural em área degradada pela mineração de carvão em santa catarina, brasil - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Vanilde Citadini-Zanette ; Rosana Peporine Lopes ; Robson dos Santos ;Rem: Revista Escola de Minas 2009, 62 (3)

Autor: Alecsandro Schardosim Klein

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Rem: Revista Escola de Minas ISSN: 0370-4467 editor@rem.com.br Escola de Minas Brasil Klein, Alecsandro Schardosim; Citadini-Zanette, Vanilde; Lopes, Rosana Peporine; Santos, Robson dos Regeneração natural em área degradada pela mineração de carvão em Santa Catarina, Brasil Rem: Revista Escola de Minas, vol.
62, núm.
3, julio-septiembre, 2009, pp.
297-304 Escola de Minas Ouro Preto, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=56416739007 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Alecsandro Schardosim Klein et al. Mineração Regeneração natural em área degradada pela mineração de carvão em Santa Catarina, Brasil (Natural regeneration in an area degraded by coal mining in Santa Catarina State, Brazil) Resumo Alecsandro Schardosim Klein Doutorando em Solos, UDESC E-mail: alecsbio@yahoo.com.br O trabalho objetivou avaliar o grau de regeneração natural, em uma antiga área de mineração de carvão a céu aberto, passados 28 anos do término das atividades de extração do minério.
A área de pesquisa está situada em Rio Carvão Alto, município de Urussanga, sul de Santa Catarina.
Para o estudo foram selecionadas três zonas com aspectos geomorfológicos distintos.
Para o estudo da regeneração natural das espécies arbustivo-arbóreas, foi utilizado o método de parcelas, sendo definidas três classes de altura.
A amostragem da classe 1 de tamanho de planta (0,20-0,50m de altura), classe 2 (0,51-1,50m de altura) e classe 3 ( 1,5m de altura e 5cm de DAP) foi realizada em unidades de 1x1, 2x2 e 5x5m, respectivamente.
Foi estimada a regeneração das espécies, registrando-se, também, algumas características ecológicas.
Foram amostradas 32 espécies.
Destas, 50,0% eram anemocóricas ...





Documentos relacionados