Crescimento do ipê-roxo, tabebuia impetiginosa martius ex a. p. de candolle, na depressão central do estado do rio grande do sul Reportar como inadecuado




Crescimento do ipê-roxo, tabebuia impetiginosa martius ex a. p. de candolle, na depressão central do estado do rio grande do sul - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Paulo Renato Schneider ; César Augusto Finger Guimarães ;Ciência Florestal 2000, 10 (2)

Autor: Paulo Sérgio Schneider Pigatto

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Ciência Florestal ISSN: 0103-9954 cf@ccr.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Schneider Pigatto, Paulo Sérgio; Schneider, Paulo Renato; Finger Guimarães, César Augusto Crescimento do ipê-roxo, tabebuia impetiginosa martius ex a.
p.
de candolle, na depressão central do estado do Rio Grande do Sul Ciência Florestal, vol.
10, núm.
2, 2000, pp.
91-100 Universidade Federal de Santa Maria Santa Maria, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=53400207 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Ciência Florestal, Santa Maria, v.
10, n.
2, p.
91-100 ISSN 0103-9954 91 CRESCIMENTO DO IPÊ-ROXO, Tabebuia impetiginosa Martius ex A.
P.
de Candolle, NA DEPRESSÃO CENTRAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL GROWTH OF IPÊ-ROXO, Tabebuia impetiginosa Martius ex A.
P.
de Candolle, IN THE CENTER DEPRESSION IN THE STATE OF RIO GRANDE DO SUL Paulo Sérgio Pigatto Schneider1 Paulo Renato Schneider2 César Augusto Guimarães Finger2 RESUMO Neste trabalho foi utilizada a técnica da dendrocronologia, desenvolvida pelo arqueólogo americano Andrew Douglass, em 1920, e o auxílio do aparelho LINTAB II, para analisar a espécie Tabebuia impetiginosa e avaliar as tendências de crescimento em diâmetro, volume comercial, incremento corrente anual em percentagem do volume comercial, bem como o fator de forma comercial.
Para isso, foi selecionada a função de Backman para o diâmetro e volume comercial em razão da idade, tendo obtido, para ambas, um excelente ajuste.
Também, foi ajustada a mesma equação para as variáveis volume comercial, fator de forma comercial e incremento corrente anual percentual em volume comercial em razão do diâmetro, conseguindo igualmente um excelente ajuste. O incremento corre...





Documentos relacionados