Floresta ombrófila densa altomontana: aspectos florísticos e estruturais de diferentes trechos na serra do mar, pr Reportar como inadecuado




Floresta ombrófila densa altomontana: aspectos florísticos e estruturais de diferentes trechos na serra do mar, pr - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Franklin Galvão ; Solon Longhi Jonas ;Ciência Florestal 2002, 12 (2)

Autor: Alexandre Koehler

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Ciência Florestal ISSN: 0103-9954 cf@ccr.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Koehler, Alexandre; Galvão, Franklin; Longhi Jonas, Solon Floresta Ombrófila Densa Altomontana: aspectos florísticos e estruturais de diferentes trechos na Serra do Mar, PR Ciência Florestal, vol.
12, núm.
2, dezembro, 2002, pp.
27-39 Universidade Federal de Santa Maria Santa Maria, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=53412204 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Ciê ncia Florestal, Santa Maria, v.
12, n.
2, p.
27-39 ISSN 0103-9954 FLORESTA OMBRÓ FILA DENSA ALTOMONTANA: ASPECTOS FLORÍSTICOS E ESTRUTURAIS DE DIFERENTES TRECHOS NA SERRA DO MAR, PR 27 UPPER MONTANE RAIN FOREST: FLORISTIC ASPECTS ABOUT THE AND STRUCTURE OF DIFFERENT STANDS, IN SERRA DO MAR, PR Alexandre Koehler 1 Franklin Galvã o2 Solon Jonas Longhi3 RESUMO Foram avaliadas a florística e a estrutura da Floresta Ombró fila Densa Altomontana, em cinco diferentes montanhas, ao longo da Serra do Mar, PR.
Trechos primários, sempre acima dos 1.250 m, foram mensurados, com dez parcelas retangulares (5x10 m), em cada local.
Foram registradas 55 esp é cies arbó reas, 36 gê neros e 24 famílias.
Incluíndo dados de outros autores, foi possível revelar que Ilex microdonta é a espé cie mais importante, seguida por Drimys brasiliensis, Ocotea catharinensis, Blepharocalyx salicifolius e Gordonia fruticosa.
Constatou-se a elevada densidade arbó rea, até 4.490 árvores por hectare (PAP 10 cm), formando um estrato único, com altura mé dia de 4 m.
Na análise de agrupamentos, os melhores resultados foram obtidos adotando-se a variável Valor de Importância.
A menor similaridade estrutural foi registrada entre os trechos dos mor...





Documentos relacionados