Fitossociologia do estrato arbóreo em uma toposseqüência alterada de mata atlântica, no município de silva jardim-rj, brasil Reportar como inadecuado




Fitossociologia do estrato arbóreo em uma toposseqüência alterada de mata atlântica, no município de silva jardim-rj, brasil - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Ary Filho Teixeira de Oliveira ;Revista Árvore 2002, 26 (6)

Autor: Rosângela Borém Alves Tristão

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Borém Alves Tristão, Rosângela; Filho Teixeira de Oliveira, Ary Fitossociologia do estrato arbóreo em uma toposseqüência alterada de mata atlântica, no município de Silva Jardim-RJ, Brasil Revista Árvore, vol.
26, núm.
6, novembro-dezembro, 2002, pp.
727-742 Universidade Federal de Viçosa Viçosa, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=48826609 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 727 Fitossociologia do Estrato Arbóreo em uma Toposseqüência. FITOSSOCIOLOGIA DO ESTRATO ARBÓREO EM UMA TOPOSSEQÜÊNCIA ALTERADA DE MATA ATLÂNTICA, NO MUNICÍPIO DE SILVA JARDIM-RJ, BRASIL1 Rosângela Alves Tristão Borém2 e Ary Teixeira de Oliveira-Filho 3 RESUMO - Este estudo foi realizado em um fragmento de Floresta Atlântica pertencente à fazenda Biovert, no município de Silva Jardim, Rio de Janeiro.
Teve como objetivos a caracterização da vegetação e a análise da estrutura da comunidade arbórea que ocorre ao longo de uma toposseqüência de um trecho de Floresta Atlântica bastante alterado antropicamente, de forma a estabelecer critérios adequados para seu manejo e sua recuperação. Para o estudo foi empregado o método de amostragem por parcelas de área fixa, distribuídas de forma sistemática, na toposseqüência.
Os dados foram coletados de parcelas amostrais de 600 m2, alocadas nos terços inferior, médio e superior de uma toposseqüência.
Foram registrados, por espécie, os nomes vulgares e científicos e a circunferência do tronco a 1,30 m (CAP).
No levantamento da composição florística foram constatadas 43 famílias, 95 gêneros e 129 espécies, obtendo-se um índice de diversidad...





Documentos relacionados