O fator de risco na mídia Reportar como inadecuado




O fator de risco na mídia - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Mariana Pombo ; Maria Fantinato ; Guilherme Pecly ;InterfaceComunicação, Saúde, Educação 2007, 11 21

Autor: Paulo Vaz

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Interface - Comunicação, Saúde, Educação ISSN: 1414-3283 intface@fmb.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Vaz, Paulo; Pombo, Mariana; Fantinato, Maria; Pecly, Guilherme O fator de risco na mídia Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol.
11, núm.
21, enero-abril, 2007, pp.
145-153 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=180115442013 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto debates O fator de risco na mídia Risk factors in the media Factores de riesgo en los medios de comunicación Paulo Vaz 1 Mariana Pombo 2 Maria Fantinato 3 Guilherme Pecly 4 Por uma história do cuidado Notícias sobre fatores de risco aparecem, freqüentemente, na mídia.
Seu sentido usual é convidar os indivíduos a atentarem para aspectos de seu cotidiano antes tidos como banais. Alimentação, bebida, lazer, trabalho, comportamento amoroso – nada parece ser irrelevante para a saúde; se deslocarmos a perspectiva, essa necessidade de constante atenção indica que a saúde se torna um valor maior a orientar nossas ações cotidianas.
É urgente, pois, refletir sobre que tipo de vida está sendo construído por esses alertas sobre perigos que estariam à espreita em nossos hábitos e que podem se concretizar num futuro remoto. A maior parte dos estudos sobre mídia e fatores de risco está focada na distância entre o consenso dos médicos e o consenso dos leigos.
De um lado, argumenta-se que deveria haver, da parte dos meios de comunicação, acuidade na tradução do conhecimento médico. De outro, quando se quer que os indivíduos efetivamente se comportem de acordo com as informações veiculadas, disc...





Documentos relacionados