Politização de conceitos: linhas de fuga para o estatuto ambivalente da -saúde-doença- na sociedade pós-genômica Reportar como inadecuado




Politização de conceitos: linhas de fuga para o estatuto ambivalente da -saúde-doença- na sociedade pós-genômica - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Adriana Estevão ;InterfaceComunicação, Saúde, Educação 2012, 16 43

Autor: Marcos Bagrichevsky

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Interface - Comunicação, Saúde, Educação ISSN: 1414-3283 intface@fmb.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Bagrichevsky, Marcos; Estevão, Adriana Politização de conceitos: linhas de fuga para o estatuto ambivalente da saúde-doença na sociedade pós-genômica Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol.
16, núm.
43, octubre-noviembre, 2012, pp.
11431145 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=180125203009 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Posicionada como têmpera de um projeto social crítico, aberto, político, epistemológico, e em permanente revisão, a Saúde Coletiva tem produzido debates temáticos fecundos, frequentemente conectando distintos pensadores e matrizes, dispostos a borrar as fronteiras disciplinares e a confrontar os modelos tradicionais de abordagem da saúde-doença-cuidado, em busca de convergentes e relevantes problematizações.
O texto de Gaudenzi e Ortega (2012), publicado na revista Interface, se insere nessa perspectiva.
A magnitude intercessora de conceitos, análises e questionamentos trabalhados pelos autores de modo consequente, nos instigou a ampliar as reflexões sobre o tema central, anunciado desde o título. A época na qual vivemos sinaliza preocupações emblemáticas à sombra da influente racionalidade científica, que incide imperativa em nações e continentes, ‘globalizados’ pela desigualdade de oportunidades, pelo acirramento do fosso abissal que distancia pobres e ricos.
Sua potência, geradora de efeitos exponenciais sobre crenças e condutas humanas, aponta que adentramos em um novo tempo, parametrizados e posicionados pel...





Documentos relacionados