Voz cantada e a constituição da relação mãe-bebê Reportar como inadecuado




Voz cantada e a constituição da relação mãe-bebê - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Suzana Magalhães Maia ; Marta Assumpção de Andrada e Silva ;Revista CEFAC 2009, 11 1

Autor: Enio Lopes Mello

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Lopes Mello, Enio; Magalhães Maia, Suzana; Andrada e Silva, Marta Assumpção de Voz cantada e a constituição da relação mãe-bebê Revista CEFAC, vol.
11, núm.
1, enero-marzo, 2009, pp.
127-133 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169317439017 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 127 VOZ CANTADA E A CONSTITUIÇÃO DA RELAÇÃO MÃE-BEBÊ Singing voice and the constitution of mother-baby relationship Enio Lopes Mello (1), Suzana Magalhães Maia (2), Marta Assumpção de Andrada e Silva (3) RESUMO Tema: refletir sobre uma faceta da constituição da relação mãe-bebê, que se fez presente no uso criativo da voz cantada da mãe, na comunicação com o seu bebê.
Procedimentos: o único sujeito desse estudo é uma mãe, que se submeteu a oito sessões de terapias corporais associadas à emissão da voz cantada, sempre dirigidas ao bebê; as sessões transcorreram com a possibilidade de expressão livre pela fala e gesto da mãe e a escuta do terapeuta.
Resultados: o quadro que a mãe apresentava em relação ao seu bebê, no início do tratamento, se encaixa na descrição de depressão pós-parto.
Após as sessões, a mãe conseguiu estabelecer contato com seu bebê, de modo prazeroso; por meio da emissão da voz cantada, ela estabeleceu a primeira forma de comunicação e não mais apresentou o quadro de dor e perda da voz.
Conclusão: a possibilidade de reconhecimento, do bebê por sua mãe, teve a corporeidade como aliada, na conjunção dos corpos da mãe e do bebê, o que favoreceu o estabelecimento de uma comunicação com sintonia de ritmos, por meio da entoação de música ca...





Documentos relacionados