Alteração de mobilidade de prega vocal unilateral: avaliação subjetiva e objetiva da voz nos momentos pré e pós-fonoterapia Reportar como inadecuado




Alteração de mobilidade de prega vocal unilateral: avaliação subjetiva e objetiva da voz nos momentos pré e pós-fonoterapia - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Amanda Peixoto Faria ; Iara Barreto Bassi ; Sônia Silvia Diniz ;Revista CEFAC 2011, 13 4

Autor: Ana Cristina Cortes Gama

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Cortes Gama, Ana Cristina; Peixoto Faria, Amanda; Barreto Bassi, Iara; Diniz, Sônia Silvia Alteração de mobilidade de prega vocal unilateral: avaliação subjetiva e objetiva da voz nos momentos pré e pós-fonoterapia Revista CEFAC, vol.
13, núm.
4, julio-agosto, 2011, pp.
710-718 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169319494010 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 710 ALTERAÇÃO DE MOBILIDADE DE PREGA VOCAL UNILATERAL: AVALIAÇÃO SUBJETIVA E OBJETIVA DA VOZ NOS MOMENTOS PRÉ E PÓS-FONOTERAPIA Unilateral vocal fold mobility alteration: objective and subjective evaluation of voice quality on prior and post speech therapy Ana Cristina Cortes Gama (1), Amanda Peixoto Faria (2), Iara Barreto Bassi (3), Sônia Silvia Diniz (4) RESUMO Objetivo: avaliar de forma subjetiva e objetiva a voz de pacientes com paralisia unilateral de prega vocal nos momentos pré-tratamento e pós-tratamento.
Método: trata-se de um estudo retrospectivo por meio de revisão de prontuário, que analisou as gravações de vozes de 12 indivíduos com diagnóstico otorrinolaringológico de paralisia unilateral de prega vocal.
O material de voz colhido foi a emissão sustentada da vogal -a-, seguida de fala encadeada.
As vozes pré e pós-terapia foram analisadas por meio da escala GRBASI, análise espectrográfica e medida do tempo máximo de fonação (TMF).
Os parâmetros para análise espectrográfica foram: forma do traçado, grau de escurecimento dos harmônicos, continuidade do traçado, presença de ruídos, presença de sub-harmônicos e harmônicos definidos.
A medida do TMF da vogal -a- representou a mai...





Documentos relacionados