Desempenho de crianças e adolescentes em tarefas envolvendo habilidade auditiva de ordenação temporal simples Reportar como inadecuado




Desempenho de crianças e adolescentes em tarefas envolvendo habilidade auditiva de ordenação temporal simples - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Carolina Campos Esteves ; Ludimila Labanca ; Stela Maris Aguiar Lemos ;Revista CEFAC 2012, 14 4

Autor: Aline Mansueto Mourão

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Mansueto Mourão, Aline; Campos Esteves, Carolina; Labanca, Ludimila; Aguiar Lemos, Stela Maris Desempenho de crianças e adolescentes em tarefas envolvendo habilidade auditiva de ordenação temporal simples Revista CEFAC, vol.
14, núm.
4, julio-agosto, 2012, pp.
659-668 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169323218014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 659 DESEMPENHO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM TAREFAS ENVOLVENDO HABILIDADE AUDITIVA DE ORDENAÇÃO TEMPORAL SIMPLES Child and adolescent performance in plain temporal resolution hearing skills Aline Mansueto Mourão (1), Carolina Campos Esteves (2), Ludimila Labanca (3), Stela Maris Aguiar Lemos (4) RESUMO Objetivo: analisar o desempenho de crianças e adolescentes na habilidade auditiva de ordenação temporal simples segundo as variáveis: idade, sexo, queixas e hipóteses diagnósticas fonoaudiológicas.
Método: trata-se de 400 sujeitos, na faixa etária de 4 e 14 anos, avaliados no período 2006 a julho de 2010.
Os instrumentos de coleta de dados foram anamnese e os testes de sequencialização de sons verbais (MSV) e não-verbais (MSNV).
Para análise dos dados foi utilizado o programa SPSS versão 12, cálculo do risco relativo (RR) e o teste do qui-quadrado de Pearson.
O nível de significância considerado foi de 5%.
O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da instituição.
Resultados: dos 400 pacientes, 262 (65,6%) do gênero masculino e 138 (34,5%) do gênero feminino.
138 pacientes (34,5%) apresentaram MSV alterado e 109 (27,5%) MSNV alterado. Não houve relação com significância estatística com...





Documentos relacionados