Contribuição da ausculta cervical para a avaliação clínica das disfagia orofaríngeas Reportar como inadecuado




Contribuição da ausculta cervical para a avaliação clínica das disfagia orofaríngeas - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Mara Keli Christmann ; Luana Cristina Berwig ; Cintia Conceição Costa ; Renata Mancopes Rocha ;Revista CEFAC 2013, 15 2

Autor: Geovana de Paula Bolzan

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Bolzan, Geovana de Paula; Christmann, Mara Keli; Berwig, Luana Cristina; Costa, Cintia Conceição; Mancopes Rocha, Renata CONTRIBUIÇÃO DA AUSCULTA CERVICAL PARA A AVALIAÇÃO CLÍNICA DAS DISFAGIA OROFARÍNGEAS Revista CEFAC, vol.
15, núm.
2, marzo-abril, 2013, pp.
455-465 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169326445023 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 455 CONTRIBUIÇÃO DA AUSCULTA CERVICAL PARA A AVALIAÇÃO CLÍNICA DAS DISFAGIA OROFARÍNGEAS Contribution of the cervical auscultation in clinical assessment of the oropharyngeal dysphagia Geovana de Paula Bolzan(1), Mara Keli Christmann(2), Luana Cristina Berwig(3), Cintia Conceição Costa(4), Renata Mancopes Rocha(5) RESUMO Para auxiliar na avaliação funcional da deglutição, a maior parte dos fonoaudiólogos utiliza recursos instrumentais como a ausculta cervical.
Em vista disso, o objetivo deste estudo foi verificar na literatura a contribuição da ausculta cervical para a avaliação clínica das disfagias.
Para tanto, foram revisados periódicos nacionais e internacionais, indexados nas bases de dados Springer, Lilacs, Bireme, Medline e Scielo, entre os anos de 1992 e 2011.
A partir da análise dos estudos foi possível verificar que a ausculta cervical vem se modernizando com a evolução tecnológica, possibilitando a realização de estudos quantitativos dos sons da deglutição; que ainda há evidências pouco claras das correspondências entre os componentes sonoros da deglutição e os eventos fisiológicos da fase faríngea; que não foram evidenciadas diferenças nos sons da deglutição entre crianças e adulto...





Documentos relacionados