Coralistas amadores: auto-imagem, dificuldades e sintomas na voz cantada Reportar como inadecuado




Coralistas amadores: auto-imagem, dificuldades e sintomas na voz cantada - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Irandi Fernando Daroz ; Kelly Cristina Alves Silvério ; Alcione Ghedini Brasolotto ;Revista CEFAC 2013, 15 2

Autor: Ana Cristina de Castro Coelho

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil de Castro Coelho, Ana Cristina; Daroz, Irandi Fernando; Alves Silvério, Kelly Cristina; Ghedini Brasolotto, Alcione CORALISTAS AMADORES: AUTO-IMAGEM, DIFICULDADES E SINTOMAS NA VOZ CANTADA Revista CEFAC, vol.
15, núm.
2, marzo-abril, 2013, pp.
436-443 Instituto Cefac São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=169326445021 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 436 CORALISTAS AMADORES: AUTO-IMAGEM, DIFICULDADES E SINTOMAS NA VOZ CANTADA Amateur choir singers: self-image, difficulties and symptoms of the singing voice Ana Cristina de Castro Coelho(1), Irandi Fernando Daroz(2), Kelly Cristina Alves Silvério(3), Alcione Ghedini Brasolotto(4) RESUMO Objetivo: conhecer a auto-imagem, dificuldades e presença de sintomas negativos após o canto em coralistas amadores com diferentes classificações vocais, idades e experiência.
Método: cento e vinte e cinco cantores responderam a um questionário que abordou dados de identificação, informações sobre a auto-imagem da voz cantada, dificuldades apresentadas no canto e ocorrência ou não de sintomas vocais após o canto.
Resultados: a comparação por naipes evidenciou maior dificuldade na emissão de sons agudos para os contraltos e baixos, maior dificuldade na emissão graves para os sopranos, maior dificuldade na transição de registro grave para agudo para os baixos, e maior cansaço vocal para os contraltos.
Na divisão por idade, tanto adultos jovens e adultos referiram maior soprosidade do que os idosos.
Os adultos referiram melhor intensidade vocal do que adultos jovens. Os adultos jovens consideraram seu timbre de voz adequado mais frequentemente do que a...





Documentos relacionados