A construção estética da realidade - vagabundos e pícaros na idade moderna Reportar como inadecuado




A construção estética da realidade - vagabundos e pícaros na idade moderna - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Tempo 2004, 9 17

Autor: Roger Chartier

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Tempo ISSN: 1413-7704 secretaria.tempo@historia.uff.br Universidade Federal Fluminense Brasil Chartier, Roger A construção estética da realidade - vagabundos e pícaros na idade moderna Tempo, vol.
9, núm.
17, julio, 2004, pp.
1-19 Universidade Federal Fluminense Niterói, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=167017770003 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 17 • Tempo A construção estética da realidade – vagabundos e pícaros na idade moderna* Roger Chartier** Gostaria de começar esta reflexão, dedicada às figuras dos vagabundos e dos pícaros na literatura e na pintura no Século de Ouro, com uma pergunta mais ampla: é possível distinguir entre a realidade social e suas representações estéticas e, portanto, considerar o estudo das primeiras como o domínio próprio dos historiadores e reservar a análise das segundas aos que interpretam formas e ficções? Seguramente, há quinze ou vinte anos, uma semelhante divisão de tarefas teria sido aceita sem reservas.
Mas hoje em dia há diversas razões para duvidar de tal distinção.
Efetivamente, não se pode mais pensar as hierarquias ou as divisões sociais fora dos processos culturais que as constroem.
É a razão pela qual o conceito de representação é um precioso apoio para que se possam apontar e articular (sem dúvida, melhor do que o permitia a noção clássica de mentalidade) as diversas relações que os indivíduos ou os grupos mantêm com o mundo social: em primeiro lugar, as operações de classificação e designação, mediante as quais um poder, um grupo ou um indivíduo percebe, se representa e representa o mundo social; em continuação, as prá* ** Artigo recebido em fevereiro de 2004 e aprovado para ...





Documentos relacionados