Reseña de -em guarda contra o -perigo vermelho-: o anticomunismo no brasil 1917-1964- de motta, rodrigo patto sá Reportar como inadecuado




Reseña de -em guarda contra o -perigo vermelho-: o anticomunismo no brasil 1917-1964- de motta, rodrigo patto sá - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Tempo 2005, 10 19

Autor: Alexandre Busko Valim 9787

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Tempo ISSN: 1413-7704 secretaria.tempo@historia.uff.br Universidade Federal Fluminense Brasil Busko Valim, Alexandre Reseña de -Em guarda contra o -perigo vermelho-: O anticomunismo no Brasil (1917-1964)- de MOTTA, Rodrigo Patto Sá Tempo, vol.
10, núm.
19, diciembre, 2005, pp.
207-210 Universidade Federal Fluminense Niterói, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=167013390013 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 19 • Tempo Das grandes ondas aos grandes diques Alexandre Busko Valim* MOTTA, Rodrigo Patto Sá.
Em guarda contra o “perigo vermelho”: O anticomunismo no Brasil (1917-1964), São Paulo, Perspectiva-FAPESP, 2002, 297 pp. Os trabalhos que discutem com propriedade o anticomunismo no Brasil, em sua maioria, são recentes.
A dificuldade de acesso às fontes primárias e a preferência por estudos ligados aos movimentos de esquerda foram os maiores obstáculos para o crescimento desta vertente de pesquisa.
No Brasil, ainda não existe uma historiografia consolidada sobre o ideário anticomunista, mas existem trabalhos interessantes e importantes para os historiadores que se interessam pelo tema – como, por exemplo, o livro de Rodrigo Patto Sá Motta.
O autor procura estudar o anticomunismo entre 1917 e 1964, concentrando-se nos períodos de 1935-1937 e 1961-1964, alegando haver neles uma maior intensidade das manifestações anticomunistas. Em relação à década de 1930, o autor identifica o manifesto escrito por Luiz Carlos Prestes – em maio de 1930, onde declarava sua adesão ao marxismoleninismo e à causa do proletariado – como uma das primeiras influências de relevo no aumento do temor ao comunismo e, simultaneamente, dos sentimentos anticomunistas.
Este aumento pode...





Documentos relacionados