Cabral, dilma. lepra, medicina e políticas de saúde no brasil 1894-1934. rio de janeiro: fiocruz, 2013. Reportar como inadecuado




Cabral, dilma. lepra, medicina e políticas de saúde no brasil 1894-1934. rio de janeiro: fiocruz, 2013. - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Educar em Revista 2014, 54

Autor: Beatriz Anselmo Olinto

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Educar em Revista ISSN: 0104-4060 educar@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil Anselmo Olinto, Beatriz CABRAL, Dilma.
Lepra, medicina e políticas de saúde no Brasil (1894-1934).
Rio de Janeiro: Fiocruz, 2013. Educar em Revista, núm.
54, octubre-diciembre, 2014, pp.
311-315 Universidade Federal do Paraná Paraná, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=155032910019 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto CABRAL, Dilma.
Lepra, medicina e políticas de saúde no Brasil (1894-1934).
Rio de Janeiro: Fiocruz, 2013. Beatriz Anselmo Olinto1 A pesquisadora e professora Dilma Cabral traz a público nesse livro as reflexões provenientes de sua tese de doutorado defendida em 2007.
O livro já nasce com vocação para ser obra de referência sobre o tema das políticas de saúde em torno da lepra, pois sintetiza as amplas discussões médicas que demarcaram o seu conceito entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX.
A obra discute as diferentes opções profiláticas existentes no período e como essas engendraram políticas públicas federais para a doença.
A autora consegue tecer uma análise que cruza os debates empreendidos na Europa, os quais embasaram o “leprosaria revival”2 do final do século XIX no Ocidente, com as especificidades e conflitos desenvolvidos localmente na capital federal do Brasil.
A obra analisa os deslocamentos discursivos ativados por diferentes agentes no campo da medicina em um quadro no qual, entre a negociação e o conflito aberto, foi composta a “singularidade da experiência brasileira” (p.
31). O livro é composto por seis capítulos que circunscrevem os itinerários médicos e políticos de um processo compreendido como uma singula...





Documentos relacionados