Pela transitoriedade (a temporalidade da psicanálise e sua relação com a feminilidade) Reportar como inadecuado




Pela transitoriedade (a temporalidade da psicanálise e sua relação com a feminilidade) - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Aletheia 2009, (29)

Autor: Sandra Niskier Flanzer

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Aletheia ISSN: 1413-0394 mscarlotto@ulbra.br Universidade Luterana do Brasil Brasil Niskier Flanzer, Sandra Pela transitoriedade (A temporalidade da psicanálise e sua relação com a feminilidade) Aletheia, núm.
29, enero-junio, 2009, pp.
142-150 Universidade Luterana do Brasil Canoas, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=115012533012 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Aletheia 29, p.142-150, jan.-jun.
2009 Pela transitoriedade (A temporalidade da psicanálise e sua relação com a feminilidade) Sandra Niskier Flanzer Resumo: Freud (1972-1915) propõe, de forma poética, algumas questões fundamentais, em seu texto Sobre a transitoriedade.
Serão abordados alguns aspectos dali retirados relacionados à temporalidade própria da psicanálise, trazendo aproximações com outros textos, principalmente O mal-estar na civilização (Freud, 1972-1930).
A temática da temporalidade será aqui apresentada naquilo que ela traz de paralelos com a feminilidade.
Proponho que a transitoriedade seja entendida como báscula de acesso (uma passagem) à feminilidade, na medida em que, pela sua efemeridade, aponta para um lugar fálico ao mesmo tempo em que indica um lugar de vazio. Palavras-chave: psicanálise, tempo, feminilidade. Via transience (The temporality of Psychoanalysis and its relation to femininity) Abstract: In his text On Transience, Freud (1972-1915) addresses certain fundamental issues poetically.
I intend to examine points drawn from that text relating to the temporality proper to Psychoanalysis, and to suggest some approximations with other texts, particularly Civilization and its Discontents (Freud, 1972-1930).
The issue of temporality is presented here in terms of the parallels it of...





Documentos relacionados