Variação somaclonal em mudas micropropagadas de bananeira, cultivar pacovan Reportar como inadecuado




Variação somaclonal em mudas micropropagadas de bananeira, cultivar pacovan - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Paulo Hercílio Rodrigues Viegas ;Bragantia 2004, 63 2

Autor: Cynthia Christina dos Santos Carvalho

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Bragantia ISSN: 0006-8705 editor@iac.sp.gov.br Instituto Agronômico de Campinas Brasil dos Santos Carvalho, Cynthia Christina; Rodrigues Viegas, Paulo Hercílio Variação somaclonal em mudas micropropagadas de bananeira, cultivar pacovan Bragantia, vol.
63, núm.
2, 2004, pp.
201-205 Instituto Agronômico de Campinas Campinas, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=90863205 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Variação somaclonal em mudas micropropagadas de bananeira 201 VARIAÇÃO SOMACLONAL EM MUDAS MICROPROPAGADAS DE BANANEIRA, CULTIVAR PACOVAN (1) CYNTHIA CHRISTINA CARVALHO DOS SANTOS(2); PAULO HERCÍLIO VIEGAS RODRIGUES(3) RESUMO A literatura tem relatado a ocorrência de variação somaclonal em plantas derivadas de cultura de tecidos.
Neste trabalho, foi estudada a influência do número de subcultivos na indução de variantes em bananeira, cultivar Pacovan (Musa spp., grupo AAB).
Ápices caulinares foram introduzidos e multiplicados in vitro, utilizando-se no estabelecimento o meio de cultura MS com adição de 2,5 mg.L-1 de BAP e nos subcultivos subseqüentes, o meio MS com 4,0 mg.L-1 de BAP para indução de brotações laterais.
Foram obtidas gerações com diferentes números de subcultivos (3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9), e comparadas com mudas obtidas de rizomas.
Observaram-se as plantas obtidas, no total de 426, em condições de campo no Vale do Açu (RN).
Para cálculo da porcentagem de variantes somaclonais, avaliaram-se as seguintes características morfológicas: estatura da planta, coloração e forma das folhas e conformação do cacho.
Foram consideradas como variantes apenas as plantas cujos perfilhos também mostravam o mesmo tipo de variação.
Constatou-se a ocorrênci...





Documentos relacionados