Ninguém tem a exclusividade do patrimônio humano e social. o movimento inclusivo Reportar como inadecuado




Ninguém tem a exclusividade do patrimônio humano e social. o movimento inclusivo - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Educação 2015, 38 2

Autor: Charles Gardou

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Educação ISSN: 0101-465X reveduc@pucrs.br Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Brasil Gardou, Charles Ninguém tem a exclusividade do patrimônio humano e social.
O movimento inclusivo Educação, vol.
38, núm.
2, mayo-agosto, 2015, pp.
239-246 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=84842555010 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Este artigo está licenciado sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite uso irrestrito, distribuição e reprodução em qualquer meio, desde que a publicação original seja corretamente citada.
http:--creativecommons.org-licenses-by-4.0-deed.pt_BR http:--revistaseletronicas.pucrs.br-ojs-index.php-faced- : http:--dx.doi.org-10.15448-1981-2582.2015.2.20051 Ninguém tem a exclusividade do patrimônio humano e social.
O movimento inclusivo* No one has exclusive rights to human and social wealth.
The inclusive movement Nadie tiene la exclusividad del patrimonio humano y social.
El movimiento inclusivo Charles Gardou**  RESUMO – Diante da amplitude dos fenômenos de exclusão, o presente artigo utiliza como tema os fundamentos para a vida compartilhada.
A partir dos princípios e exigências de uma sociedade inclusiva, pretende estabelecer uma outra visão do patrimônio humano e social, do qual frequentemente permanecem privados os mais frágeis.
O argumento explicita o alcance das discriminações permanentemente reproduzidas, revelando as violações de direitos que sofrem, dentre outros desfavorecidos ou marginalizados, aqueles marcados pela deficiência – expressão das fragilidades.
Ser inclusivo não é fazer inclusão, par...





Documentos relacionados