Por que se faz políticas sociais no brasil? notas sobre estratégias de legitimação nos últimos dois governos federais Reportar como inadecuado




Por que se faz políticas sociais no brasil? notas sobre estratégias de legitimação nos últimos dois governos federais - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

CivitasRevista de Ciências Sociais 2006, 6 1

Autor: Emil Albert Sobottka 97

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Civitas - Revista de Ciências Sociais ISSN: 1519-6089 civitas@pucrs.br Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Brasil Sobottka, Emil Albert Por que se faz políticas sociais no Brasil? Notas sobre estratégias de legitimação nos últimos dois governos federais Civitas - Revista de Ciências Sociais, vol.
6, núm.
1, janeiro- junho, 2006, pp.
79-93 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=74260105 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Por que se faz políticas sociais no Brasil? Notas sobre estratégias de legitimação nos últimos dois governos federais Emil Albert Sobottka* A pergunta pelas razões de existirem políticas sociais públicas tem recebido respostas que combinam uma argumentação funcional-pragmática e uma fundamentação ética, perfazendo inúmeras combinações possíveis entre estes “tipos puros”.
Döring (2004, p.
4), por exemplo, descreveu o fim supremo da política social como “evitar formas extremas de desigualdade e, com isso, assegurar a coesão interna da sociedade”.
Segundo esta resposta relativamente clássica, estas políticas devem assegurar a continuidade do nível de vida em caso de ocorrência de certos riscos inerentes à vida moderna, como desemprego e incapacidade para o trabalho, e evitar a pobreza.
Enquanto a manutenção de um nível de vida já alcançado se orienta pelo mérito, evitar a pobreza implica necessariamente em uma redistribuição de renda.
Goodim et al.
(2002) mencionam logo seis razões para a existência de políticas sociais: apoiar eficiência econômica, minimizar a pobreza, fomentar a integração e evitar a exclusão social, assegurar esta...





Documentos relacionados