Tráfego veicular e mortalidade por doenças do aparelho circulatório em homens adultos Reportar como inadecuado




Tráfego veicular e mortalidade por doenças do aparelho circulatório em homens adultos - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Nelson Gouveia ;Revista de Saúde Pública 2012, 46 1

Autor: Mateus Habermann

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Habermann, Mateus; Gouveia, Nelson Tráfego veicular e mortalidade por doenças do aparelho circulatório em homens adultos Revista de Saúde Pública, vol.
46, núm.
1, febrero, 2012, pp.
26-33 Universidade de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=67240196004 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Rev Saúde Pública 2012;46(1):26-33 Artigos Originais Mateus HabermannI Tráfego veicular e mortalidade por doenças do aparelho circulatório em homens adultos Nelson GouveiaII Motor vehicle traffic and cardiovascular mortality in male adults RESUMO OBJETIVO: Analisar a associação entre indicadores de exposição à poluição por tráfego veicular e mortalidade por doenças do aparelho circulatório em homens adultos. MÉTODOS: Foram analisadas informações sobre vias e volume de tráfego no ano de 2007 fornecidas pela companhia de engenharia de tráfego local. Mortalidade por doenças do aparelho circulatório no ano de 2005 entre homens ≥ 40 anos foram obtidas do registro de mortalidade do Programa de Aprimoramento de Informações de Mortalidade do Município de São Paulo, SP.
Dados socioeconômicos do Censo 2000 e informações sobre a localização dos serviços de saúde também foram coletados.
A exposição foi avaliada pela densidade de vias e volume de tráfego para cada distrito administrativo. Foi calculada regressão (α = 5%) entre esses indicadores de exposição e as taxas de mortalidade padronizadas, ajustando os modelos para variáveis socioeconômicas, número de serviços de saúde nos distritos e autocorrelação espacial. I Programa de Pós-Graduação ...





Documentos relacionados