Condições de saúde dos presos do estado do rio de janeiro, brasil Reportar como inadecuado




Condições de saúde dos presos do estado do rio de janeiro, brasil - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Adalgisa Peixoto Ribeiro ;Ciência & Saúde Coletiva 2016, 21 7

Autor: Maria Cecília de Souza Minayo

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Ciência & Saúde Coletiva ISSN: 1413-8123 cecilia@claves.fiocruz.br Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Brasil de Souza Minayo, Maria Cecília; Peixoto Ribeiro, Adalgisa Condições de saúde dos presos do estado do Rio de Janeiro, Brasil Ciência & Saúde Coletiva, vol.
21, núm.
7, julio, 2016, pp.
2031-2040 Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Rio de Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=63046188005 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto DOI: 10.1590-1413-81232015217.08552016 Health conditions of prisoners in the state of Rio de Janeiro, Brazil Maria Cecília de Souza Minayo 1 Adalgisa Peixoto Ribeiro 1 Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge Careli, Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz.
Av.
Brasil 4036-7º, Manguinhos.
21040-210 Rio de Janeiro RJ Brasil. maminayo@terra.com.br 1 Abstract We present the results of a quantitative and qualitative study on the living conditions and health of prisoners in the state of Rio de Janeiro. The goal was to produce strategic information to support the action of public officials who work in prisons.
The results show that prisoners are young (average age: 30 years), poor, mostly black and brown (70.5%), have little education (only 1.5% of them have a higher education), and have been in prison for less than four years.
Among the problems that indirectly affect their health, we emphasize: overcrowding (1.39 prisoners per one vacancy), idleness (only 4.4% of them work), lack of perspective, violence and relationships of conflict.
The most common physical health problems include: musculoskeletal problems, such as pain in the neck, back, and spi...





Documentos relacionados