Processos de enfrentamento do estresse e sintomas depressivos em pacientes portadores de retocolite ulcerativa idiopática Reportar como inadecuado




Processos de enfrentamento do estresse e sintomas depressivos em pacientes portadores de retocolite ulcerativa idiopática - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Eliane Corrêa Chaves ;Revista da Escola de Enfermagem da USP 2006, 40 4

Autor: Ana Lúcia Siqueira Costa

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=361033288009


Introducción



Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal Sistema de Información Científica Siqueira Costa, Ana Lúcia; Corrêa Chaves, Eliane Processos de enfrentamento do estresse e sintomas depressivos em pacientes portadores de retocolite ulcerativa idiopática Revista da Escola de Enfermagem da USP, vol.
40, núm.
4, 2006, pp.
507-514 Universidade de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=361033288009 Revista da Escola de Enfermagem da USP, ISSN (Versão impressa): 0080-6234 reeusp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Como citar este artigo Número completo Mais informações do artigo Site da revista www.redalyc.org Projeto acadêmico não lucrativo, desenvolvido pela iniciativa Acesso Aberto STRESS COPING STRATEGIES AND DEPRESSIVE SYMPTOMS AMONG ULCERATIVE COLITIS PATIENTS PROCESOS DE ENFRENTAMIENTO DEL ESTRÉS Y SÍNTOMAS DEPRESIVOS EN PACIENTES PORTADORES DE RECTOCOLITIS ULCEROSA IDIOPÁTICA RELATO DE PESQUISA Processos de enfrentamento do estresse e sintomas depressivos em pacientes portadores de retocolite ulcerativa idiopática Ana Lúcia Siqueira Costa1, Eliane Corrêa Chaves2 RESUMO Neste estudo se investigou as formas de enfrentamento do estresse e a presença dos sintomas depressivos em 100 indivíduos portadores de retocolite ulcerativa idiopática (RCUI), usuários do Ambulatório de Doenças Inflamatórias do HCFMUSP, que foram comparados com 100 indivíduos acompanhantes de pacientes de outra unidade da mesma instituição, isentos da doença.
A metodologia consistiu de aplicar aos dois grupos o Inventário de Estratégias de Enfrentamento de Folkman e Lazarus e o Inventário de Depressão de Beck.
As estratégias de enfrentamento mais utilizadas pelo grupo de doentes foram Suporte Social (47%) e Reavaliação Positiva (40%), e no grupo controle ocorreu predomínio da estratégia Reavaliação Positiva (52%).
Quanto ao transtorno de humor, 71% dos portadores de ...





Documentos relacionados