Incontinência urinária autorreferida no pós-parto: características clínicas Reportar como inadecuado




Incontinência urinária autorreferida no pós-parto: características clínicas - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Neide de Souza Praça ;Revista da Escola de Enfermagem da USP 2012, 46 3

Autor: Daniela Biguetti Martins Lopes

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=361033317005


Introducción



Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal Sistema de Información Científica Biguetti Martins Lopes, Daniela; de Souza Praça, Neide Incontinência urinária autorreferida no pós-parto: características clínicas Revista da Escola de Enfermagem da USP, vol.
46, núm.
3, junio, 2012, pp.
559-564 Universidade de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=361033317005 Revista da Escola de Enfermagem da USP, ISSN (Versão impressa): 0080-6234 reeusp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Como citar este artigo Número completo Mais informações do artigo Site da revista www.redalyc.org Projeto acadêmico não lucrativo, desenvolvido pela iniciativa Acesso Aberto Self-reported urinary incontinence in the postpartum period: clinical characteristics Artigo Original Incontinência urinária autorreferida no pós-parto: características clínicas* Incontinencia urinaria autorreferida en el posparto: características clínicas Daniela Biguetti Martins Lopes1, Neide de Souza Praça2 resumo Abstract Resumen descritores descriptors descriptores Este estudo transversal teve como objetivo caracterizar as manifestações de incontinência urinária autorreferida no pós-parto. Foram entrevistadas 288 mulheres atendidas em um Centro de Saúde Escola do município de São Paulo, entre janeiro e agosto de 2009.
Os dados indicaram que, dentre as 71 mulheres incontinentes (24,6%), 44 destas (62%) referiram incontinência urinária aos esforços, 65 (91,5%) sentiam a urina escoar, 33 mulheres (46,5%) apresentavam perdas por mais de uma vez na semana e 24 (33,8%) acusaram perda urinária persistente no momento da entrevista.
A gravidade, classificada como incontinência urinária moderada, foi constatada em 53 mulheres (74,7%).
Os achados realçam a importância de investigações sobre incontinência urinária no período pós-parto, assim como sua abordagem no ensino e na assistência ...





Documentos relacionados