Editorial Reportar como inadecuado




Editorial - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista da Abordagem Gestáltica: Phenomenological Studies 2010, XVI 1

Autor: Adriano Furtado Holanda

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=357735613001


Introducción



Revista da Abordagem Gestáltica: Phenomenological Studies ISSN: 1809-6867 revista@itgt.com.br Instituto de Treinamento e Pesquisa em Gestalt Terapia de Goiânia Brasil Furtado Holanda, Adriano Editorial Revista da Abordagem Gestáltica: Phenomenological Studies, vol.
XVI, núm.
1, junio, 2010, p.
IX Instituto de Treinamento e Pesquisa em Gestalt Terapia de Goiânia Goiânia, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=357735613001 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Editorial Você fala sobre pessoas, e o conceito de “pessoa” é aparentemente muito próximo do conceito de “indivíduo”. Penso ser aconselhável estabelecer uma distinção entre eles.
Um indivíduo é somente uma certa singularidade de um ser humano (.).
Indivíduo é somente esta singularidade, capaz de ser desenvolvido e por aí a fora.
Mas pessoa, eu diria, é um indivíduo vivendo realmente com o mundo.
E com o mundo, não quero dizer no mundo [Rogers: Huh huh], mas exatamente em contato real, em real reciprocidade com o mundo (.).
Mas isso é o que eu chamaria uma pessoa e se eu posso dizer expressamente “sim” e “não” a certos fenômenos, sou contra indivíduos e a favor de pessoas (Rogers & Buber, 2008, p.
243). Por diálogo, entendemos igualmente escuta e partilhamento, ou melhor, com-partilhamento.
É nesse espírito de diálogo e de compartilhamento que trazemos até o leitor esse novo número da Revista da Abordagem Gestáltica. Queremos “compartilhar” idéias, “dialogar” com as diferenças, e marcar um “lugar”: o lugar do pensamento fenomenológico, existencial e – por que não dizer também – humanista.
Nesse espírito, apontamos e buscamos dizeres e olhares que muitas vezes passam por ...





Documentos relacionados