A construção da agenda de gênero no sistema educacional brasileiro 1996–2007 Reportar como inadecuado




A construção da agenda de gênero no sistema educacional brasileiro 1996–2007 - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Sociedade e Estado 2008, 23 3

Autor: Nina Madsen

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=339930894029


Introducción



Sociedade e Estado ISSN: 0102-6992 revistasol@unb.br Universidade de Brasília Brasil Madsen, Nina A construção da agenda de gênero no sistema educacional brasileiro (1996–2007) Sociedade e Estado, vol.
23, núm.
3, septiembre-diciembre, 2008, pp.
811-812 Universidade de Brasília Brasília, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=339930894029 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Resumos das teses e dissertações apresentadas no PPG-SOL-UnB 811 A construção da agenda de gênero no sistema educacional brasileiro (1996–2007) Nina Madsen Curso: Mestrado em Sociologia Data da defesa: 5 de setembro de 2008 Orientadora: Profª.
Drª.
Lourdes Maria Bandeira Resumo O trabalho apresenta uma pesquisa exploratória que mapeia o processo de construção da agenda de gênero dentro do sistema educacional brasileiro, no período entre 1996 e 2007.
Ao mesmo tempo, propõe um marco teórico desenvolvido a partir das três dimensões da teoria de justiça de Fraser (1997, 2005): redistribuição, reconhecimento e representação, e da adaptação dessas dimensões ao campo da educação primeiramente sugerida por Caviedes, Fernández & Barrientos (2006).
A proposta é compor um modelo tridimensional que, ao analisar ou formular a educação como política pública do Estado, abarque as dimensões econômica, cultural-simbólica e política de maneira integrada (entendendo-se que cada dimensão dialoga com as demais e nelas interfere) e transversal (entendendose que essa leitura deve perpassar todo o sistema, em todas as suas instâncias e formulações).
A pesquisa exploratória foi feita em três níveis: internacional, nacional e local.
No plano internacional, foram examinados alguns documentos bal...





Documentos relacionados