As tecnologias da reprodução: discursos sobre maternidade e paternidade no campo da reprodução assistida no brasil Reportar como inadecuado




As tecnologias da reprodução: discursos sobre maternidade e paternidade no campo da reprodução assistida no brasil - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Sociedade e Estado 2008, 23 3

Autor: Fernanda Bittencourt Vieira

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=339930894014


Introducción



Sociedade e Estado ISSN: 0102-6992 revistasol@unb.br Universidade de Brasília Brasil Bittencourt Vieira, Fernanda As tecnologias da reprodução: discursos sobre maternidade e paternidade no campo da reprodução assistida no Brasil Sociedade e Estado, vol.
23, núm.
3, septiembre-diciembre, 2008, pp.
788-789 Universidade de Brasília Brasília, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=339930894014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 788 Resumos das teses e dissertações apresentadas no PPG-SOL-UnB As tecnologias da reprodução: discursos sobre maternidade e paternidade no campo da reprodução assistida no Brasil Fernanda Bittencourt Vieira Curso: Doutorado em Sociologia Data da defesa: 15 de agosto de 2008 Orientadora: Profª.
Drª.
Lourdes Maria Bandeira Resumo A reprodução assistida tornou possível o início do processo reprodutivo fora do corpo.
A manipulação e circulação de embriões, de óvulos, de sêmen e o “deslocamento” do útero, com a chamada gestação de substituição, permitiram novas experiências sociais. Este trabalho investiga os discursos dos principais atores e atrizes sociais, no campo da reprodução assistida no Brasil, sobre questões suscitadas por essas inovações tecnológicas em relação à “parentalidade”.
Nesse campo, novas tecnologias reprodutivas, futuros pais e mães, médicos(as), legisladores(as), feministas, bioeticistas, entre outros atores e atrizes sociais, confrontaram-se em torno de células reprodutivas, embriões congelados – possíveis filhos(as) relacionados(as) geneticamente ou não aos seus pais –, criando ou reatualizando discursos sobre maternidade, paternidade, reprodução, direitos individuais, direitos parentais e...





Documentos relacionados