A vida, a obra, o que falta, o que sobra: memorial acadêmico, direitos e obrigações da escrita Reportar como inadecuado




A vida, a obra, o que falta, o que sobra: memorial acadêmico, direitos e obrigações da escrita - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista Tempo e Argumento 2015, 7 15

Autor: Wilton Carlos Lima da Silva

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=338142233005


Introducción



Revista Tempo e Argumento E-ISSN: 2175-1803 tempoeargumento@gmail.com Universidade do Estado de Santa Catarina Brasil Lima da Silva, Wilton Carlos A vida, a obra, o que falta, o que sobra: memorial acadêmico, direitos e obrigações da escrita Revista Tempo e Argumento, vol.
7, núm.
15, mayo-agosto, 2015, pp.
103-136 Universidade do Estado de Santa Catarina Florianópolis, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=338142233005 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto e-ISSN 2175-1803 A vida, a obra, o que falta, o que sobra: memorial acadêmico, direitos e obrigações da escrita1 Resumo O memorial acadêmico é uma narrativa pessoal do percurso de formação intelectual e profissional de um docente universitário, exigido em concursos públicos para a progressão de carreira.
Forma de escrita de si, condicionada por uma tradição institucional, agrega, a partir da década de 80, uma carga maior de subjetivação e oferece-se como objeto privilegiado de análise da escrita autobiográfica, pois nela se mesclam a trajetória pessoal e a intelectual, em um dos raros momentos em que se apresenta como legítima a fala do acadêmico sobre si mesmo.
A partir da análise de três memoriais acadêmicos de professores da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, de Paulo Argemiro da Silveira Filho, Heloísa Fernandes e Scarlett Marton, apresentados em concursos públicos em 1991, 1992 e 2003, respectivamente, busca-se discutir algumas particularidades desse gênero narrativo enquanto fonte de pesquisa. Wilton Carlos Lima da Silva Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professor, livre-docente, na Universidade Estadual Pauli...





Documentos relacionados