Continuação. reforma joão luiz alves conhecida por lei rocha vaz decreto no 16.782 a - de 13 de janeiro de 1925 Reportar como inadecuado




Continuação. reforma joão luiz alves conhecida por lei rocha vaz decreto no 16.782 a - de 13 de janeiro de 1925 - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista História da Educação 2009, 13 29

Autor: Elomar Antonio Callegado Tambara

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=321627136011


Introducción



Revista História da Educação ISSN: 1414-3518 rhe.asphe@gmail.com Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação Brasil Callegado Tambara, Elomar Antonio Continuação.
Reforma João Luiz Alves (conhecida por Lei Rocha Vaz) Decreto No 16.782 A - de 13 de Janeiro de 1925 Revista História da Educação, vol.
13, núm.
29, septiembre-diciembre, 2009, pp.
233-273 Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação Rio Grande do Sul, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=321627136011 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Continuação Reforma João Luiz Alves (conhecida por Lei Rocha Vaz) Decreto Nº 16.782 A – de 13 de Janeiro de 1925 SEÇÃO OITAVA Da constituição, direitos e deveres do corpo docente do ensino secundário e do superior Art.
148 – O corpo docente dos institutos de ensino superior e secundário será constituído por professôres catedrático, docentes-livres, professôres honorários, professôres privativos e professôres de desenho e de ginástica. Parágrafo único – No Internato co Colégio Pedro II haverá três repetidores, cujas funções serão definidas no regimento interno do Departamento. Art.
149 – Ao professor catedrático incumbe: a) – orientar o ensino das matérias, que constituem a sua cadeira; b) – lecionar em toda totalidade as matérias, que constituem o programa da mesma; c) – apresentar, para que seja estudado e julgado pela Congregação, antes da abertura das aula, o programa referido; d) – providenciar, por todos os meios de seu alcance, para que o ensino, sob sua responsabilidade seja o mais eficiente possível; e) – tomar parte nas comissões de exames do curso, de defesa de tese e d...





Documentos relacionados