Quem eu sou? a identidade de trabalhadoras portadoras de ler-dort Reportar como inadecuado




Quem eu sou? a identidade de trabalhadoras portadoras de ler-dort - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Suzane Beatriz Frantz Krug ;Textos & Contextos Porto Alegre 2008, 7 1

Autor: Mari Ângela Gaedke

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=321527162009


Introducción



Textos & Contextos (Porto Alegre) E-ISSN: 1677-9509 textos@pucrs.br Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Brasil Gaedke, Mari Ângela; Frantz Krug, Suzane Beatriz Quem eu sou? A identidade de trabalhadoras portadoras de LER-DORT Textos & Contextos (Porto Alegre), vol.
7, núm.
1, enero-junio, 2008, pp.
120-137 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre, RS, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=321527162009 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Quem eu sou? A identidade de trabalhadoras portadoras de LER-DORT (Who am I? The Identity of Female Workers carriers of LER-DORT) Mari Ângela Gaedke * Suzane Beatriz Frantz Krug** Resumo – Atualmente, a LER-DORT, como uma das patologias do trabalho de grande incidência no Brasil, tem sido alvo de preocupação dos profissionais da saúde, uma vez que os mesmos vêm-se deparando com seus portadores nos mais diversos ambientes e processos de trabalho.
Ao abordar este tema, o objetivo foi identificar e analisar as conseqüências da LER-DORT, para a vida familiar, social e profissional, de trabalhadores afastados do trabalho, assim como entender o significado do adoecimento em suas vidas.
Realizou-se um estudo exploratório-descritivo, qualitativo, com 12 trabalhadoras de uma empresa do ramo de confecções do Vale do Rio Pardo-RS, com a Análise de Conteúdo como método de tratamento dos dados, sendo estes coletados através de entrevista semi-estruturada.
A realidade da situação de trabalho e de vida de trabalhadores acometidos por essa patologia, em um espaço geograficamente distante de expressivos espaços de articulação dos movimentos sindicais mais atuantes e de discussões atualizadas e freqüen...





Documentos relacionados