Uma escola pode e muito mais, senhor! rotondo, m. a. s. o que pode uma escola? cartografias de uma escola do interior brasileiro. 2010. 158 f. tese doutorado em educação matemática –instituto de geociências e ciências exataReportar como inadecuado




Uma escola pode e muito mais, senhor! rotondo, m. a. s. o que pode uma escola? cartografias de uma escola do interior brasileiro. 2010. 158 f. tese doutorado em educação matemática –instituto de geociências e ciências exata - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Boletim de Educação Matemática 2015, 29 52

Autor: Filipe Santos Fernandes

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=291241073018


Introducción



Boletim de Educação Matemática ISSN: 0103-636X bolema@rc.unesp.br Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Brasil Santos Fernandes, Filipe Uma Escola Pode e Muito Mais, Senhor ! Boletim de Educação Matemática, vol.
29, núm.
52, agosto, 2015, pp.
773-778 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Rio Claro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=291241073018 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto ISSN 1980-4415 DOI: http:--dx.doi.org-10.1590-1980-4415v29n52r01 Uma Escola Pode e Muito Mais, Senhor! ROTONDO, M.
A.
S.
O que pode uma escola? Cartografias de uma escola do interior brasileiro.
2010.
158 f.
Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2010.
Tese orientada por Antonio Carlos Carrera de Souza. Por Filipe Santos Fernandes* Uma escola é, necessariamente, um empreendimento coletivo permeado de encontros. Nesses encontros, potencializamos nossos modos de pensar e agir, de estar no mundo, de compreendê-lo, de significá-lo.
No entanto, o que acontece quando esses encontros são afetados por modificações de um projeto político-pedagógico? Que novas subjetividades podem se constituir nesse movimento? Como a escola cria mecanismos de subversão e sujeição às novas constituições desse espaço? Que estilos de vida a escola insiste-resiste em constituir?… Enfim, o que pode uma escola? Aproximando-se dessas inquietações e dos modos de pensar da Filosofia da Diferença, Margareth Rotondo pretende “fazer um exercício de pensamento acerca de como são potencializados os processos de produção de subjetividade em uma escola que passa por alterações em seu proj...





Documentos relacionados