Fazer uma obra no tempo Reportar como inadecuado




Fazer uma obra no tempo - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Psicologia Clínica 2010, 22 2

Autor: Céline Masson

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=291022025008


Introducción



Psicologia Clínica ISSN: 0103-5665 psirevista@puc-rio.br Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Brasil Masson, Céline Fazer uma obra no tempo Psicologia Clínica, vol.
22, núm.
2, 2010, pp.
107-128 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Rio De Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=291022025008 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto issn 0103-5665 • 107 Fazer uma obra no tempo Céline Masson* Tradução: Sabira de Alencar Czermak** Resumo Mostramos que uma imagem, a partir do momento em que é captada pelo aparelho psíquico, é sempre tomada em um tempo não cronológico, mas anacrônico, que é a temporalidade própria à memória tal como Freud a definiu.
A imagem no tempo psíquico e visual é uma imagem-traço, que drena para si as ínfimas partículas da realidade que servirão de ponto de passagem entre o dentro e o fora.
Fazer uma obra é tomar algum tempo e modificá-lo pela forma plástica-estética.
Quando o sujeito faz uma obra, ele capta e, ao mesmo tempo, se refaz daquilo que fez traço (no sentido do traço mnésico), ele se apropria pela sensação (estética) dos acontecimentos de sua história.
A criação é um processo de tempo, de futuro, logo, de presente.
A imagem é projeção para um porvir que traz consigo os traços do passado.
Ela faz face a um novo ponto de vista, a novas imagens. Palavras-chave: imagem; temporalidade; traços; criação; obra; fazer-obra. Abstract To make a work in the time We show that an image from the moment it is picked up by the psychic apparatus, it is always taken in a non-chronological time, but anachronistic, that is the temporality of memory as Freud defined it.
The image in time psychic and...





Documentos relacionados