Psicologia e educação na amazônia. reseña de -psicologia e educação na amazônia: pesquisa e realidade brasileira.- de proença, m. & nenevé, m. orgs.. Reportar como inadecuado




Psicologia e educação na amazônia. reseña de -psicologia e educação na amazônia: pesquisa e realidade brasileira.- de proença, m. & nenevé, m. orgs.. - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Psicologia em Estudo 2006, 11 1

Autor: Gisele Toassa

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=287122090026


Introducción



Psicologia em Estudo ISSN: 1413-7372 revpsi@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Toassa, Gisele Psicologia e educação na Amazônia.
Reseña de -Psicologia e educação na amazônia: pesquisa e realidade brasileira.- de Proença, M.
& Nenevé, M.
(Orgs.). Psicologia em Estudo, vol.
11, núm.
1, enero-abril, 2006, pp.
223-224 Universidade Estadual de Maringá Maringá, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=287122090026 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto 1 PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO NA AMAZÔNIA * Gisele Toassa O livro “Psicologia e educação na amazônia: pesquisa e realidade brasileira”1 resume 11 trabalhos de pesquisa do mestrado interinstitucional em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano realizado entre 1997 e 2000 pelo Instituto de Psicologia da USP e a Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Seu achamento é uma grande curiosidade para os brasileiros, sulistas e não sulistas, que ignoramos os dramas particulares da Região Norte do Brasil. Parte de sua riqueza está na própria variedade dos participantes.
Estes são professores da UNIR com passagem por secretarias de educação, coordenadorias pedagógicas, ensino fundamental, médio e infantil. Vários deles estão há muito tempo distantes de cursos de formação, existindo poucos especialistas com grande experiência docente e administrativa e pouca prática de pesquisa (Proença & Nenevé, 2004).
Muitos não tinham maior contato com as psicologias até cursarem o mestrado interinstitucional, conseguindo utilizá-las em temáticas diversas como sexualidade, ensino de língua portuguesa, formação docente em serviço, exclusão educacional, avaliação da aprendizagem, parâmetros curriculares nacionais e...





Documentos relacionados