Meditação na universidade: a motivação de alunos da ufrgs para aprender meditação Reportar como inadecuado




Meditação na universidade: a motivação de alunos da ufrgs para aprender meditação - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Bruna Fiorentin ; Lisiane Bizarro ;Psicologia Escolar e Educacional 2012, 16 2

Autor: Carolina Baptista Menezes

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=282325269014


Introducción



Psicologia Escolar e Educacional ISSN: 1413-8557 revistaabrapee@yahoo.com.br Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional Brasil Baptista Menezes, Carolina; Fiorentin, Bruna; Bizarro, Lisiane Meditação na universidade: a motivação de alunos da UFRGS para aprender meditação Psicologia Escolar e Educacional, vol.
16, núm.
2, julio-diciembre, 2012, pp.
307-315 Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional Paraná, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=282325269014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Meditação na universidade: a motivação de alunos da UFRGS para aprender meditação Carolina Baptista Menezes Bruna Fiorentin Lisiane Bizarro Resumo O treinamento em meditação sentada e silenciosa tem sido cada vez mais usado em contextos educacionais.
Este estudo objetivou conhecer o interesse e a motivação de universitários para participar de um treino de meditação sentada e silenciosa.
Foi realizado um levantamento online que utilizou um questionário sociodemográfico com uma pergunta aberta sobre a motivação para participar do treino e o Self-Report Questionnaire para identificar transtornos psiquiátricos menores.
Participaram 524 universitários de 42 cursos (M = 25 anos, DP = 5,16, 64,3% mulheres).
A maioria era solteiro (88%), com renda entre 1 e 5 salários mínimos (51,8%), de diferentes religiões (n = 20) e sem sintomas psiquiátricos (73%).
Os principais motivos para treinar meditação foram os benefícios emocionais (25,59%), gosto e interesse pelo assunto (24,67%), benefícios cognitivos (16,02%) e curiosidade e interesse na pesquisa (15,11%).
O interesse pela meditação não está restrito a universitários com características socio...





Documentos relacionados