Prevalência e caracterização da prática de automedicação para alívio da dor entre estudantes universitários de enfermagem Reportar como inadecuado




Prevalência e caracterização da prática de automedicação para alívio da dor entre estudantes universitários de enfermagem - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Camila Damázio da Silva ; Gisely Carvalho Ferraz ; Fátima Aparecida Emm Faleiros Sousa ; Lílian Varanda Pereira ;Revista Latino-Americana de Enfermagem 2011, 19 2

Autor: Layz Alves Ferreira Souza

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=281421955004


Introducción



Revista Latino-Americana de Enfermagem ISSN: 0104-1169 rlae@eerp.usp.br Universidade de São Paulo Brasil Ferreira Souza, Layz Alves; Damázio da Silva, Camila; Carvalho Ferraz, Gisely; Emm Faleiros Sousa, Fátima Aparecida; Varanda Pereira, Lílian Prevalência e caracterização da prática de automedicação para alívio da dor entre estudantes universitários de enfermagem Revista Latino-Americana de Enfermagem, vol.
19, núm.
2, abril, 2011, pp.
Tela 1-Tela 7 Universidade de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=281421955004 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Rev.
Latino-Am.
Enfermagem 19(2):[07 telas] mar-abr 2011 www.eerp.usp.br-rlae Artigo Original Prevalência e caracterização da prática de automedicação para alívio da dor entre estudantes universitários de enfermagem1 Layz Alves Ferreira Souza2 Camila Damázio da Silva3 Gisely Carvalho Ferraz4 Fátima Aparecida Emm Faleiros Sousa5 Lílian Varanda Pereira6 Os objetivos deste estudo foram: estimar a prevalência de automedicação entre estudantes universitários de enfermagem com dor e caracterizar a experiência dolorosa e o alívio obtido, por meio dos fármacos utilizados.
É estudo epidemiológico seccional, do qual participaram 211 estudantes de uma universidade pública de Goiás, Brasil.
A dor e o alívio foram medidos por meio de escala numérica (0-10).
A prevalência de automedicação foi de 38,8%.
A fonte geradora e o fator determinante prevalentes dessa prática foram o próprio estudante (54,1%) e a falta de tempo para ir ao médico (50%), respectivamente.
A dipirona foi o analgésico mais utilizado (59,8%) e o alívio da dor classificado como bom (Md=8,5; máx=10; mín=0).
A prevalênc...





Documentos relacionados