Reseña de -taz: zona autônoma temporária- de bey, hakim Report as inadecuate




Reseña de -taz: zona autônoma temporária- de bey, hakim - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

MercatorRevista de Geografia da UFC 2010, 9 20

Author: Kelton Gabriel

Source: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=273619430018


Teaser



Mercator - Revista de Geografia da UFC E-ISSN: 1984-2201 edantas@ufc.br Universidade Federal do Ceará Brasil Gabriel, Kelton Reseña de -TAZ: zona autônoma temporária- de BEY, Hakim Mercator - Revista de Geografia da UFC, vol.
9, núm.
20, septiembre-diciembre, 2010, pp.
257-261 Universidade Federal do Ceará Fortaleza, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=273619430018 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto DOI: 10.4215-RM2010.0920.
0017 ZONA AUTÔNOMA TEMPORÁRIA Kelton Gabriel Mestrando em Geografia da Universidade Federal do Paraná – UFPR Av.
Francisco H dos Santos, s-n - CEP 81531.990 - Cx.
Postal 19001 - Curitiba (PR), Brasil Tel.- Fax: ( 55 41) 3361 3450 - 3361 3244 - kelton.gabriel@gmail.com RESENHA DE: BEY, Hakim.
TAZ: zona autônoma temporária.
(coleção Baderna) São Paulo: Conrad, 2001, 88 p. Hakim Bey é uma figura enigmática, não podemos nem mesmo afirmar que exista apenas um Hakim Bey no mundo, alguns dizem que é pseudônimo do também enigmático Peter Lamborn Wilson, no entanto pode ser ele (Hakim Bey) também um nome coletivo assim como Luther Blissett e Vitoriamario, no entanto ele publicou um livro intitulado TAZ (Temporary Autonomous Zone), publicado no Brasil pela Conrad em 2001, e é sobre este livro que a presente resenha crítica se empenha. O conceito da TAZ foi tão bem interpretativo na nossa atual época que serve de modelo explicativo para uma ampla gama de fenômenos geográficos. O livro de Bey se apresenta em oito capítulos e cinco apêndices curtos que não serão aqui trabalhados.
Onde podemos entender da seguinte maneira: No começo do livro ele explica sobre uma primitiva “rede de informações” de piratas do séc XVIII.
Essa rede era formada...





Related documents