Versão brasileira do shoulder pain and disability index: tradução, adaptação cultural e confiabilidade Report as inadecuate




Versão brasileira do shoulder pain and disability index: tradução, adaptação cultural e confiabilidade - Download this document for free, or read online. Document in PDF available to download.

Barbara V. Napoles ; Carla B. Hoffman ; Anamaria S. Oliveira ;Revista Brasileira de Fisioterapia 2010, 14 6

Author: Jaqueline Martins

Source: http://www.redalyc.org/


Teaser



Revista Brasileira de Fisioterapia ISSN: 1413-3555 rbfisio@ufscar.br Associação Brasileira de Pesquisa e PósGraduação em Fisioterapia Brasil Martins, Jaqueline; Napoles, Barbara V.; Hoffman, Carla B.; Oliveira, Anamaria S. Versão Brasileira do Shoulder Pain and Disability Index: tradução, adaptação cultural e confiabilidade Revista Brasileira de Fisioterapia, vol.
14, núm.
6, noviembre-diciembre, 2010, pp.
527-536 Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia São Carlos, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=235016583012 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto ISSN 1413-3555 Artigo Metodológico Rev Bras Fisioter, São Carlos, v.
14, n.
6, p.
527-36, nov.-dez.
2010 Revista Brasileira de Fisioterapia © Versão brasileira do Shoulder Pain and Disability Index: tradução, adaptação cultural e confiabilidade* The Brazilian version of Shoulder Pain and Disability Index - translation, cultural adaptation and reliability* Jaqueline Martins1,2, Barbara V.
Napoles1,3, Carla B.
Hoffman1,3, Anamaria S.
Oliveira1,2 Resumo Objetivos: Traduzir e adaptar culturalmente o questionário Shoulder Pain and Disability Index (SPADI) para a Língua Portuguesa do Brasil e avaliar sua confiabilidade.
Métodos: A primeira etapa consistiu na tradução, síntese, retro-tradução, revisão pelo Comitê, préteste e avaliação dos documentos pelo comitê e pelo autor do SPADI.
A versão revisada pelo Comitê foi aplicada a 90 indivíduos com disfunção no ombro, com faixa etária acima de 18 anos e níveis educacional e sociocultural variados.
Os itens não compreendidos por 20% ou mais dos pacientes foram reformulados e reaplicados até alcançarem valores menores que esse.
A ...





Related documents