Krafft-ebing, a psychopathia sexualis e a criação da noção médica de sadismo Reportar como inadecuado




Krafft-ebing, a psychopathia sexualis e a criação da noção médica de sadismo - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental 2009, 12 2

Autor: Mário Eduardo Costa Pereira

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental ISSN: 1415-4714 psicopatologiafundamental@uol.com.br Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Brasil Pereira, Mário Eduardo Costa Krafft-Ebing, a Psychopathia Sexualis e a criação da noção médica de sadismo Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, vol.
12, núm.
2, junio, 2009, pp.
379-386 Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=233016517011 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Rev.
Latinoam.
Psicopat.
Fund., São Paulo, v.
12, n.
2, p.
379-386, junho 2009 Krafft-Ebing, a Psychopathia Sexualis e a criação da noção médica de sadismo Mário Eduardo Costa Pereira Escrita na segunda metade do século XIX, a Psychopathia Sexualis de Richard Krafft-Ebing participa de um movimento histórico-cultural que institui o olhar e a autoridade médica como referências necessárias para se deliberar quanto à legitimidade dos diferentes comportamentos sexuais humanos.
Suas incidências se estendem mesmo sobre o campo legal e jurídico.
Obra que sintetiza e aprofunda os estudos da sexologia de seu tempo, Psychopathia Sexualis introduz uma delimitação do campo das perversões sexuais, uma nomenclatura – que inclui termos que seriam posteriormente consagrados como sadismo, masoquismo e fetichismo, e um rigor classificatório que a tornarão uma referência incontornável para todos os estudos posteriores nesse campo, incluindo a obra freudiana. Palavras-chave: Krafft-Ebing, sexologia, perversões sexuais 379 R E V I S T A L AT I N OA M E R I C A N A DE PSICOPATOLOGIA F U N D A M E N T A L 380 Poucos autores no campo d...





Documentos relacionados