Lembrar para esquecer: a memória da dor no luto e na consolação Reportar como inadecuado




Lembrar para esquecer: a memória da dor no luto e na consolação - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental 2011, 14 4

Autor: Paulo José Carvalho da Silva

Fuente: http://www.redalyc.org/


Introducción



Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental ISSN: 1415-4714 psicopatologiafundamental@uol.com.br Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Brasil Carvalho da Silva, Paulo José Lembrar para esquecer: a memória da dor no luto e na consolação Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, vol.
14, núm.
4, diciembre, 2011, pp.
711720 Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=233021455010 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Rev.
Latinoam.
Psicopat.
Fund., São Paulo, v.
14, n.
4, p.
711-720, dezembro 2011 Lembrar para esquecer: a memória da dor no luto e na consolação* Paulo José Carvalho da Silva 711 Este artigo retoma discursos da antiga tradição da consolação e outras variantes da medicina da alma para examinar a dimensão da memória especificamente no trabalho do luto.
Em particular, analisa como a memória era definida, principalmente qual era a sua relação com a origem e a permanência das dores da alma e, por conseguinte, qual era a sua função nas práticas terapêuticas da primeira modernidade. Palavras-chave: Memória, males da alma, luto, consolação, psicanálise * Pesquisa realizada com auxílio Bolsa de Produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq (Brasília, DF, Brasil). R E V I S T A L AT I N OA M E R I C A N A DE PSICOPATOLOGIA F U N D A M E N T A L 712 Ao contrário do senso comum, que afirma que o tempo cura todos os males, Freud supõe um trabalho psíquico no luto: é necessário pronunciar interiormente a morte do que se foi.
Assim, muito distinto de um esquecimento passivo, o luto é u...





Documentos relacionados