Imaginário e sedução: a comunicação estética Reportar como inadecuado




Imaginário e sedução: a comunicação estética - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia 2012, 19 3

Autor: MARIA BEATRIZ FURTADO RAHDE

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=495551012008


Introducción



Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia ISSN: 1415-0549 revistadafamecos@pucrs.br Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Brasil FURTADO RAHDE, MARIA BEATRIZ Imaginário e sedução: a comunicação estética Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, vol.
19, núm.
3, septiembre-diciembre, 2012, pp.
723-738 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=495551012008 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Revista FAMECOS mídia, cultura e tecnologia Tecnologias do Imaginário Imaginário e sedução: a comunicação estética Imaginary and seduction: the aesthetics communication MARIA BEATRIZ FURTADO RAHDE Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS mbrahde@gmail.com RESUMO ABSTRACT Este texto refere sobre imagens e sua estética, para estudos culturais do imaginário.
Com base em Gilbert Durand (1998), o imaginário está próximo da cultura, mantendo relações entre o universo subjetivo e a realidade objetiva.
O autor enfatiza que a realidade é acionada pela presença do imaginário, no qual está contida a imaginação.
Atuando pois na imaginação, a sedução do estético perpassa pelo que inspira prazer, como uma estética além da beleza: a mitologia mostra sereias, gárgulas, imagens grotescas que também inspiraram prazer, tanto quanto o tradicional conceito do que é considerado belo.
Na contemporaneidade o imaginário é seduzido por             possibilidade de recuperação de uma estética visual, a qual corre o risco de cair no extremo oposto, provocando ...





Documentos relacionados