Respeitem meus cabelos, brancos: música, política e identidade negra Reportar como inadecuado




Respeitem meus cabelos, brancos: música, política e identidade negra - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

KYWZA J.F.P. DOS SANTOS ;Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia 2012, 19 1

Autor: FELIPE DA COSTA TROTTA

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=495551010014


Introducción



Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia ISSN: 1415-0549 revistadafamecos@pucrs.br Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Brasil DA COSTA TROTTA, FELIPE; DOS SANTOS, KYWZA J.F.P. Respeitem meus cabelos, brancos: música, política e identidade negra Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, vol.
19, núm.
1, enero-abril, 2012, pp.
225 -248 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=495551010014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Revista FAMECOS mídia, cultura e tecnologia Imagens Respeitem meus cabelos, brancos: música, política e identidade negra Have some respect for my hair, whites: music, politics and black identity FELIPE DA COSTA TROTTA Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF).
trotta.felipe@gmail.com KYWZA J.
F.
P.
DOS SANTOS Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFPE.
kywzafideles@gmail.com RESUMO ABSTRACT A música popular é um artefato midiático através do qual são negociados socialmente pensamentos, valores, ações e estratégias de identidade individual e coletiva.
Neste artigo, analisaremos as nuances discursivas que integram a canção Respeitem meus cabelos, brancos, de Chico César.
Parte-se da hipótese de que por trás de um discurso militante e acusatório revelam-se diversas ambiguidades discursivas que integram a posição do autor sobre identidade negra.
Os debates atuais sobre racismo acionam um posicionamento dicotômico (brancos x negros), presente na letra, mas relativizado pela ironia do uso não ortodoxo do reggae, pela ambiguidade da capa do CD, pela indefinição tonal...





Documentos relacionados