A transposição do rio são francisco Reportar como inadecuado




A transposição do rio são francisco - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

REMHURevista Interdisciplinar da Mobilidade Humana 2011, 19 36

Autor: Luis Flávio Cappio

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=407042013015


Introducción



REMHU - Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana ISSN: 1980-8585 remhu@csem.org.br Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios Brasil Cappio, Luis Flávio A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO REMHU - Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, vol.
19, núm.
36, enero-junio, 2011, pp.
253-259 Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios Brasília, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=407042013015 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Dom Luis Flávio Cappio A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO Entrevista Dom Luis Flávio Cappio* 1.
Frei Luiz, em que estado se encontram os trabalhos para a transposição do rio São Francisco? Hoje o Governo Federal está levando adiante o projeto de transposição.
Quem encabeça os trabalhos é o Exército Brasileiro.
Isto, por princípio, já é um erro, porque não é essa a função do Exército assumir serviços que vem beneficiar as elites econômicas em detrimento das populações mais carentes.
No entanto, na semana passada, o atual ministro da integração nacional já mudou e postergou as datas da entrega das obras.
Mais uma vez se confirma o que sempre afirmamos: é uma obra eminentemente eleitoreira e, em 2014, nas vésperas das próximas eleições, com certeza, os trabalhos vão surgir novamente com toda a força. De qualquer forma, aqueles que acompanham os trabalhos da transposição sabem que os custos sociais são muito altos, porque muitas comunidades têm sido destruídas, áreas que antes eram habitadas pelo povo da região foram totalmente devastadas.
As famílias que foram expulsas de suas áreas estão tendo muitas dificuldades em receber indenizações – muitas das quais são extremamente injustas - e isso comprova que e...





Documentos relacionados