Estrangeiro, familiar: o cuidado do outro na instituição geriátrica Reportar como inadecuado




Estrangeiro, familiar: o cuidado do outro na instituição geriátrica - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Paola Grifo ;REMHURevista Interdisciplinar da Mobilidade Humana 2012, 20 38

Autor: Irene Carrano

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=407042015010


Introducción



REMHU - Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana ISSN: 1980-8585 remhu@csem.org.br Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios Brasil Carrano, Irene; Grifo, Paola ESTRANGEIRO, FAMILIAR: o cuidado do outro na instituição geriátrica REMHU - Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, vol.
20, núm.
38, enero-junio, 2012, pp.
163-179 Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios Brasília, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=407042015010 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Irene Carrano e Paola Grifo ESTRANGEIRO, FAMILIAR: o cuidado do outro na instituição geriátrica Irene Carrano* Paola Grifo** A presença significativa de funcionários estrangeiros nos serviços sociossanitários italianos coloca novos desafios à identidade e à integração profissional. Esta pesquisa-ação, que tem sua fundamentação teórica na psicanálise, descreve as representações culturalmente orientadas dos trabalhadores de uma instituição geriátrica e se propõe como um protótipo de laboratório formativo de partilha das diferentes visões da assistência aos idosos. Somente se o encontro multicultural gerar laços baseados no mútuo reconhecimento será possível estabelecer boas práticas “mestiças” de cuidado e cura em contextos institucionais. Palavras-chave: Estrangeiro; Multiculturalidade; Cuidado; Idoso; Instituição. “Vítima romântica da nossa preguiça familiar, ou intruso responsável por todos os males da cidade?. Nem uma coisa nem outra.
Estranhamente, o estrangeiro nos habita: é a face oculta da nossa identidade” (J.Kristeva, “Estrangeiros a si mesmos”, 1988) Premissa: as razões da pesquisa, o referencial teórico1 Este estudo é a primeira etapa de um per...





Documentos relacionados