Disostose espôndilo-costal associada a defeitos de fechamento do tubo neural Reportar como inadecuado




Disostose espôndilo-costal associada a defeitos de fechamento do tubo neural - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Paulo Ricardo G. Zen ; Rosana Cardoso M. Rosa ; Carla Graziadio ; Giorgio Adriano Paskulin ;Revista Paulista de Pediatria 2009, 27 3

Autor: Rafael Fabiano M. Rosa

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=406038930016


Introducción



Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Rosa, Rafael Fabiano M.; Zen, Paulo Ricardo G.; Rosa, Rosana Cardoso M.; Graziadio, Carla; Paskulin, Giorgio Adriano Disostose espôndilo-costal associada a defeitos de fechamento do tubo neural Revista Paulista de Pediatria, vol.
27, núm.
3, septiembre, 2009, pp.
335-339 Sociedade de Pediatria de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=406038930016 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Relato de caso Disostose espôndilo-costal associada a defeitos de fechamento do tubo neural Spondylocostal dysostosis associated with neural tube defects Rafael Fabiano M.
Rosa1, Paulo Ricardo G.
Zen2, Rosana Cardoso M.
Rosa3, Carla Graziadio4, Giorgio Adriano Paskulin5 RESUMO Objetivo: Salientar a relação dos defeitos de fechamento do tubo neural com a disostose espôndilo-costal (DEC) por meio da descrição de três pacientes. Descrição dos casos: Paciente 1: menina branca, 22 meses, nascida com mielomeningocele lombar.
Na avaliação, apresentava hipotonia, baixa estatura, dolicocefalia, fendas palpebrais oblíquas para cima, pregas epicânticas e tronco curto com tórax assimétrico.
A avaliação radiográfica revelou hemivértebras múltiplas, vértebras em borboleta e fusão e ausência de algumas costelas.
Paciente 2: menina branca, 22 meses, com moderado atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, baixa estatura, olhos profundos, pregas epicânticas, pescoço e tronco curtos com assimetria do tórax, abdome protruso, hemangioma plano na altura da transição lombossacra e fosseta sacral profunda no dorso.
A avaliação radiográfica identificou hemivértebras, fusão inc...





Documentos relacionados