Transição epidemiológica nutricional em crianças e adolescentes argentinos de áreas carentes Reportar como inadecuado




Transição epidemiológica nutricional em crianças e adolescentes argentinos de áreas carentes - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista Paulista de Pediatria 2009, 27 2

Autor: Joel Alves Lamounier

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=406038929002


Introducción



Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Alves Lamounier, Joel Transição epidemiológica nutricional em crianças e adolescentes argentinos de áreas carentes Revista Paulista de Pediatria, vol.
27, núm.
2, junio, 2009, pp.
124-126 Sociedade de Pediatria de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=406038929002 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Editorial Transição epidemiológica nutricional em crianças e adolescentes argentinos de áreas carentes Nutritional epidemiological transition in poor Argentinean children and adolescents N o Brasil, a maior parte dos estudos sobre nutrição realizada no século passado concentravase nos aspectos da desnutrição.
Porém, dados mais recentes mostram redução da desnutrição e aumento de sobrepeso e obesidade em crianças, situação de “transição epidemiológica nutricional” que se caracteriza por diminuição de doenças transmissíveis e aumento das doenças crônicas não transmissíveis(1).
Nesse contexto, compartilham o mesmo cenário dois extremos da má nutrição: desnutrição pela carência e obesidade pelo excesso, o que se pode chamar de paradoxo nutricional(2).
Portanto, a obesidade e o sobrepeso constituem, na atualidade, importantes problemas de Saúde Pública, pelas elevadas taxas de prevalência, não somente em adultos, mas principalmente em crianças e adolescentes brasileiros(3-5).
O excesso de peso soma-se, em alguns casos, à dislipidemia e à hipertensão arterial como fatores de risco para o aparecimento de eventos cardiovasculares(6,7). Fatores externos socioambientais têm sido considerados de maior relevância na incidên...





Documentos relacionados