Faltam estudos sobre aleitamento materno nas universidades brasileiras Reportar como inadecuado




Faltam estudos sobre aleitamento materno nas universidades brasileiras - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista Paulista de Pediatria 2009, 27 2

Autor: Ruth Guinsburg

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=406038929001


Introducción



Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Guinsburg, Ruth Faltam Estudos sobre aleitamento materno nas Universidades Brasileiras Revista Paulista de Pediatria, vol.
27, núm.
2, junio, 2009 Sociedade de Pediatria de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=406038929001 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Press Release http:--dx.doi.org-10.1590-S0103-05822009010100001 Faltam Estudos sobre aleitamento materno nas Universidades Brasileiras Rev Paul Pediatr 2009;27(2) Um dos destaques da Revista Paulista de Pediatria de março de 2009 é o artigo de autoria de Lúcia Veloso e João Aprígio de Almeida sobre a produção de conhecimentos, do ponto de vista dos programas de pós-graduações brasileiros, a respeito do Aleitamento Materno. Os autores analisaram as dissertações e teses produzidas no período de 1971 a 2006 pelos programas de pós-graduação em saúde da criança e do adolescente reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação do Brasil.
Os 12 programas reconhecidos produziram 1.494 obras no período analisado.
Destas, somente 68 (5%) utilizaram o aleitamento materno como objeto de construção, sendo 50 em nível de mestrado e 18 de doutorado.
A Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, a Universidade de São Paulo e a Universidade Federal de São Paulo foram as que mais se dedicaram a estudar a temática.
Dois programas não apresentaram estudos sobre aleitamento materno.
Os programas se diferenciaram quanto à especificidade dos estudos, geralmente quantificando e descrevendo o tema sob a ótica social e biológica, porém não explo...





Documentos relacionados