Influência do crescimento intrauterino restrito sobre a evolução nutricional e crescimento de recém-nascidos pré-termo Reportar como inadecuado




Influência do crescimento intrauterino restrito sobre a evolução nutricional e crescimento de recém-nascidos pré-termo - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Cléa Rodrigues Leone ;Revista Paulista de Pediatria 2009, 27 1

Autor: Igor Tadeu da Costa

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=406038928003


Introducción



Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil da Costa, Igor Tadeu; Rodrigues Leone, Cléa Influência do crescimento intrauterino restrito sobre a evolução nutricional e crescimento de recém-nascidos pré-termo Revista Paulista de Pediatria, vol.
27, núm.
1, marzo, 2009, pp.
15-20 Sociedade de Pediatria de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=406038928003 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Artigo Original Influência do crescimento intrauterino restrito sobre a evolução nutricional e crescimento de recém-nascidos pré-termo até a alta hospitalar Intrauterine growth restriction influence on the nutritional evolution and growth of preterm newborns from birth until discharge Igor Tadeu da Costa1, Cléa Rodrigues Leone2 RESUMO Objetivo: Analisar o crescimento de recém-nascidos prétermo (RNPT) com crescimento intrauterino restrito (CIUR) do nascimento até a alta hospitalar. Métodos: Coorte de RNPT provenientes de gestação única, com idade gestacional (IG) de 30 a 34 semanas, Apgar de cinco minutos 6, sem risco infeccioso perinatal e sem malformações.
Grupos de estudo: I: CIUR (índice de Kramer=peso ao nascer-peso P50 0,85); II: sem CIUR. Analisaram-se: peso (P), comprimento (C), perímetro cefálico (PC) e índice de massa corpórea (IMC) ao nascimento e à alta ou com 40 semanas de IG corrigida.
Análise estatística: comparação de médias (teste t de Student e t pareado), teste do qui-quadrado, correlação de Pearson e regressão linear, sendo significante p 0,05. Resultados: Ao nascimento, houve diferença (p 0,0001) da antropometria entre os 24 RNPT do Grupo I (P=1192g, E=37,7cm, PC=26...





Documentos relacionados