Metodologia para um saber e um fazer geo-histórico: análise de espacialidades pretéritas utilizando instrumentos computacionais Reportar como inadecuado




Metodologia para um saber e um fazer geo-histórico: análise de espacialidades pretéritas utilizando instrumentos computacionais - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Revista do Instituto de Estudos Brasileiros 2016, 65

Autor: Eduardo Dutenkefer

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=405649590004


Introducción



Revista do Instituto de Estudos Brasileiros ISSN: 0020-3874 revistaieb@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Dutenkefer, Eduardo Metodologia para um saber e um fazer geo-histórico: análise de espacialidades pretéritas utilizando instrumentos computacionais Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, núm.
65, diciembre, 2016, pp.
57-71 Universidade de São Paulo São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=405649590004 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Metodologia para um saber e um fazer geo-histórico: análise de espacialidades pretéritas utilizando instrumentos computacionais [ Methodology for a geo-historical knowledge and practic: analysis of preterit spatialities using computer tools Eduardo Dutenkefer1 Metodologia desenvolvida no âmbito do projeto de bolsa de produtividade da professora doutora Iris Kantor (do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – FFLCH da Universidade de São Paulo) no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq: “Mapa para um novo império (1750-1850)”. RESUMO • Utilizando instrumentos computacionais, apresentamos neste trabalho uma proposta metodológica para análise de mapas antigos com ênfase em três aspectos: sua geometria, seu georreferenciamento e sua vetorização. Diferentemente de outras metodologias orientadas na precisão cartográfica e em posições absolutas, esta opta por propor um georreferenciamento relativo, isto é, estabelecer relações de feições, lugares e trajetórias que o mapa antigo possa manter com os mapas contemporâneos sem, contudo, distorcer significativamente as feições originais do mapa em estudo.
• PALAVRAS-CHAVE • SIG hist...





Documentos relacionados