Pmk: validade preditiva do pmk em relação à presença de sintomas psicopatológicos Reportar como inadecuado




Pmk: validade preditiva do pmk em relação à presença de sintomas psicopatológicos - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Elizabeth do Nascimento ; Jáder dos Reis Sampaio ;Psico-USF 2011, 16 2

Autor: Alina Gomide Vasconcelos

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=401041440003


Introducción



Psico-USF ISSN: 1413-8271 revistapsico@usf.edu.br Universidade São Francisco Brasil Gomide Vasconcelos, Alina; do Nascimento, Elizabeth; dos Reis Sampaio, Jáder PMK: validade preditiva do PMK em relação à presença de sintomas psicopatológicos Psico-USF, vol.
16, núm.
2, mayo-agosto, 2011, pp.
143-149 Universidade São Francisco São Paulo, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=401041440003 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Psico-USF, v.
16, n.
2, p.
143-149, mai.-ago.
2011 143 PMK: validade preditiva do PMK em relação à presença de sintomas psicopatológicos Alina Gomide Vasconcelos1 – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil Elizabeth do Nascimento – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil Jáder dos Reis Sampaio – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil Resumo O Psicodiagnóstico Miocinético (PMK) é considerado uma técnica útil na avaliação de seis fatores da personalidade no Brasil.
Tendo como base a teorização proposta por Mira y Lopes, manifestações extremas dessas dimensões estão relacionadas a indícios de sintomas psicopatológicos.
Este trabalho teve como objetivo principal investigar a capacidade preditiva das medidas do PMK em relação ao diagnóstico de transtorno de humor.
Para tal, compararam-se as medidas no PMK de 31 indivíduos com diagnóstico de transtorno mental e 31 controles pareados nas variáveis sociodemográficas. Foi utilizada a estatística de Wilcoxon e os resultados indicaram que não houve diferenças entre os grupos.
Conclui-se que as medidas de personalidade baseadas no PMK, tal como calculadas no presente estudo, não foram sensíveis à presença de tendências de...





Documentos relacionados