Entre o dito e o feito: uma análise preliminar da questão da aflição e do sofrimento nos estudos antropológicos sobre o candomblé Reportar como inadecuado




Entre o dito e o feito: uma análise preliminar da questão da aflição e do sofrimento nos estudos antropológicos sobre o candomblé - Descarga este documento en PDF. Documentación en PDF para descargar gratis. Disponible también para leer online.

Mônica de Oliveira Nunes ;PhysisRevista de Saúde Coletiva 2015, 25 4

Autor: Clarice Moreira Portugal

Fuente: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=400844481014


Introducción



Physis - Revista de Saúde Coletiva ISSN: 0103-7331 publicacoes@ims.uerj.br Universidade do Estado do Rio de Janeiro Brasil Moreira Portugal, Clarice; de Oliveira Nunes, Mônica Entre o dito e o feito: uma análise preliminar da questão da aflição e do sofrimento nos estudos antropológicos sobre o candomblé Physis - Revista de Saúde Coletiva, vol.
25, núm.
4, octubre-diciembre, 2015, p.
1313 Universidade do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, Brasil Disponível em: http:--www.redalyc.org-articulo.oa?id=400844481014 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal Projeto acadêmico sem fins lucrativos desenvolvido no âmbito da iniciativa Acesso Aberto Entre o dito e o feito: uma análise preliminar da questão da aflição e do sofrimento nos estudos antropológicos sobre o candomblé | 1 Clarice Moreira Portugal, 2 Mônica de Oliveira Nunes | Resumo: O artigo tem por objetivo refletir acerca das abordagens antropológicas do sofrimento nos cultos afro-brasileiros, considerando desde aquelas centradas na dimensão simbólica até as mais afins à fenomenologia e à antropologia simétrica.
Para tanto, faz-se inicialmente uma breve exposição acerca dos paradigmas estrutural e simbólico na antropologia, privilegiando a obra de Claude Lévi-Strauss e Clifford Geertz.
A seguir, apresenta-se uma discussão concernente à apropriação da teoria fenomenológica pelas ciências sociais e às leituras mais voltadas para a problemática das práticas, enfatizando em nossa leitura autores como Alfred Schütz e Annemarie Mol. Por fim, propõe-se uma nova abordagem teóricometodológica que denominamos cartoetnografia – baseada no conceito de modos de existência desenvolvido por Bruno Latour – como uma espécie de híbrido que nos permitiria, sem negligenciar a dimensão simbólica, explorar o problema da af...





Documentos relacionados